segunda-feira, 6 de julho de 2015

Futebol e política: paradoxos brasileiros


O futebol é como a política, cheio de paradoxos.
Os melhores governos para os setores mais pobres da população brasileira, depois de Getúlio Vargas, foram os de Lula e Dilma, o que enlouquece a direita, transformada em paladina da moral por falta de capacidade de ganhar eleições.
Os governos do PT botaram não brancos nas universidades como nunca havia acontecido antes.
Recuperam as universidades públicas sucateadas pelo doutor FHC.
Deram poder de compra à classe C, que comprou carro, televisão de plasma, sofá novo, linha branca completa e passou a ter acesso a aeroportos, enfurecendo coxinhas que se sentiam como usuários exclusivos de aviões.
Criaram programas de assistência como os que existem em qualquer país desenvolvido.
Distribuíram uma rendinha que não saía das mãos dos coxinhas.
Geraram quase pleno emprego, o que gera inflação.
Pleno emprego é como supersafra: o muito bom dá prejuízo.
Tantas fez o petismo que só podia ir para a panela.

Confira no Juremir Machado da Silva, no Correio do Povo

Um comentário:

zealfredo disse...

Futebol, Brasil e PT.