sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Há sete anos, morria o jornalista Gary Webb, com duas balas na cabeça: um suicídio, disseram

Neste texto publicado em janeiro de 2005, assinalam-se as estranhas circunstâncias sobre a morte de Gary Webb, o jornalista investigativo ianque que denunciou operações de narco-tráfico da CIA realizadas com a cumplicidade de seu agente, o terrorista de origem cubana Luis Posada Carriles: sete anos depois, neste 10 de dezembro, continua o mistério sem esclarecimento.

JEAN-GUY ALLARD / Publicado pela Red Voltaire em 11 de janeiro de 2005 – Desmascarou, como nenhum jornalista havia feito antes, as obscuras maquinações da CIA no mundo da droga e revelou aos ianques como bairros negros do país foram inundados de crack com um incrível cinismo, em meio a um tráfico destinado a abastecer de dinheiro e armas os Contras nicaraguenses. Denunciou o narco-terrorista Luis Posada Carriles e seus cúmplices cubano-ianques envolvidos neste negócio criminoso. E acaba de ser encontrado em sua casa com duas balas na cabeça. Um suicídio, dizem as autoridades judiciais.
   
Vejam o texto original em CONTRAINJERENCIA ou uma tradução livre no blog NEBULOSA.DE.ORION

Um comentário:

zealfredo disse...

"Jornalista se suicida com dois tiros na cabeça" parece uma boa manchete.