quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Os dois candidatos de oposição e a agenda anti-desenvolvimentista

A fórmula do discurso anti-desenvolvimentista para assegurar o aumento da competitividade tem as seguintes variáveis: economia aberta, salários contidos, menos impostos e mais educação. Só não dizem como vão financiá-la num contexto de forte ajuste fiscal... - 

Confira no Brasil Debate: http://brasildebate.com.br/os-dois-candidatos-de-oposicao-e-a-agenda-anti-desenvolvimentista/#sthash.NRnD3pkC.dpuf

2 comentários:

PAPUDA NEWS disse...

"A aparição do ex-presidente Lula, suado e descabelado, fazendo uma manifestação em frente à Petrobras é a síntese do clima atual no PT. E nem está claro que Dilma Rousseff perderá a disputa contra Marina Silva (aliás, a presidente está à frente nas pesquisas). Mas em Brasília é possível respirar um certo pânico no ar.

Só na capital da República há mais de 20 mil cargos de confiança, todos ocupados pelo petismo e adjacências. Uma derrota de Dilma Rousseff obrigará essas pessoas e suas famílias a deixarem a cidade. Por baixo, serão de 40 a 50 mil desamparados. Voltarão a seus Estados para pedir trabalho na iniciativa privada ou em algum governo, prefeitura ou sindicato sob o comando do PT. Serão milhares de dramas pessoais. Em Harvard, nos EUA, a universidade oferece um serviço gratuito de atendimento psicológico a estudantes estrangeiros que passam um tempo por lá e depois têm de retornar para seus países. Dilma poderia pensar no assunto. Uma "bolsa psicólogo" ajudaria a manter mais calmas as pessoas ao seu lado."

KKKKKKKKKKKKKKK

zealfredo disse...

Uhum.
Citando Fernando Rodrigues.