segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Aécio Neves esconde que votou contra a valorização do salário mínimo

Aécio Neves contou uma mentira em seu programa eleitoral exibido na tarde do último sábado (11). O presidenciável tucano disse que apoiou a atual política que garante um aumento real do salário mínimo e disse que a medida foi criada pelo Congresso Nacional.
Na verdade, a regra do aumento real do salário mínimo foi criada no governo Lula, em 2006, em um pacto firmado com todas as centrais sindicais. Em seu primeiro ano de mandato, em 2011, Dilma Rousseff enviou ao Congresso Nacional uma proposta para manter a política de valorização salarial até 2014. Aécio Neves e todo o seu partido, o PSDB, votaram contra. Perderam, mas votaram contra. Além disso, Aécio e o PSDB entraram no STF alegando que a regra era inconstitucional. Perderam também no STF.

Confira no Pragmatismo Político

5 comentários:

Presidiário José Dirceu disse...

É isso que queremos para o Brasil? A campanha da candidata à reeleição usa mais uma vez suas armas habituais: a mentira, a manipulação e a tentativa de enganar os brasileiros. Quem votou contra o trabalhador na sessão do Senado do dia 23/02/2011 foi o PT e a base governista. O governo havia proposto um salário ...mínimo de R$ 545. Já o PSDB apresentou emenda elevando o valor do mínimo naquela ocasião para R$ 600.

Aécio votou contra os R$ 545 porque defendia o reajuste maior. A proposta tucana, de autoria do senador Álvaro Dias, foi rechaçada por 55 votos dos apoiadores de Dilma. Caso a proposta defendida pelo PSDB tivesse sido aprovada, hoje o salário mínimo brasileiro seria de R$ 797 e não R$ 724.

Anônimo disse...

A campanha da candidata à reeleição usa mais uma vez suas armas habituais: a mentira, a manipulação e a tentativa de enganar os brasileiros. Quem votou contra o trabalhador na sessão do Senado do dia 23/2/2011 foi o PT e a base governista. O governo havia proposto um salário mínimo de R$ 545. Já o PSDB apresentou emenda elevando o valor do mínimo naquela ocasião para R$ 600.

Aécio votou contra os R$ 545 porque defendia o reajuste maior. A proposta tucana, de autoria do senador Álvaro Dias, foi rechaçada por 55 votos dos apoiadores de Dilma.

Caso a proposta defendida pelo PSDB tivesse sido aprovada, hoje o salário mínimo brasileiro seria de R$ 797 e não R$ 724.
http://youtu.be/-_t_nsPp4qg

Anônimo disse...

Sugiro que tenham bastante cuidado antes de compartilhar qualquer informação que venha de um governo ditatorial
o link do video real sem cortes: http://www.youtube.com/watch?v=-_t_nsPp4qg&feature=youtu.be

vera lucia Santos disse...

E mentira! Voces deveriam verifica antes de postar qualquer informação inverídica! Aecio e o PSDB queriam um salario minimo maior, ou seja de R$600,00 e os Petistas e seus aliados foram contra um valor maior.

zealfredo disse...

Estou surpreso: comentários com argumentos. O covarde que se esconde sob o pseudônimo "Presidiário José Dirceu" é habitué por aqui, mas costuma vir com xingamentos.

Muito bem, eleitores de Aécio, está feito o vosso registro.