sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Em tempos de paranoia anticomunista, o PSDB tenta esconder a biografia de Aloysio Nunes

Uma das acusações preferidas de aecistas cavernistas a Dilma Rousseff é a de que se trata de uma “ex-terrorista, assaltante de banco e subversiva”. Uma vez comunista, sempre comunista.
Se antes esse era um discurso de bolsonaros doentes, ganhou um estatuto mainstream. O senador Álvaro Dias, por exemplo, do PSDB, conseguiu enxergar uma bandeira cubana no clipe da Copa do Mundo. Aécio Neves, mesmo, falou para a adversária no debate do SBT que não continuaria dando dinheiro para “as ditaduras que você apoia”.
É claro que eles não acreditam realmente nessa conversa mole da Guerra Fria. Mas, como tem ressonância entre milhares de burros, eles vão falando.
Com essa radicalização, é sintomático que a chapa de Aécio faça força para esconder seu próprio “ex-terrorista”, o vice Aloysio Nunes Ferreira.

Um comentário:

zealfredo disse...

Repetinddo aqui um comentário de um comentarista que se esconde se autonomeando "Presidiário José Dirceu":

"Presidiário José Dirceu disse...
Com 25 anos Aécio trabalhava em banco, enquanto a Dilma com 25 assaltava bancos."

Naqueles mesmos dias o vice de Aécio pilotava veículos de fuga com butim de assaltos... Ele mudou, assim como Dilma.