domingo, 7 de dezembro de 2014

Oposição derrotada parte para o vale tudo contra Dilma

É como se Aécio Neves dissesse para Dilma Rousseff, ao final desta opera bufa em que encarna Carlos Lacerda à beira de um ataque de nervos: "Tudo bem, eu perdi a eleição, não vou ser mais presidente, mas você também não vai governar. Nós não deixaremos".
Vai ficando mais claro a cada dia que o objetivo real da oposição é um só: criar o clima e as condições necessárias para que a presidente reeleita Dilma Rousseff não assuma o segundo mandato e, se isso acontecer, impedi-la de governar o país pelos próximos quatro anos.


Confira no Balaio do Kotscho

3 comentários:

Alexandre Ughini disse...

Realmente devo estar ficando louco:

- os Correios não participaram indevidamente da campanha da Dilma;
- ela (a Dilma) não gastou mais do que o permitido por lei em sua campanha;
- a injustiçada Dilma não sabia absolutamente nada sobre o PETROLÃO;
- o Foro de São Paulo é fruto de minha imaginação!!

strunfim disse...

Os Correios trabalharam igualmente para todos os candidatos;
Os que financiaram a campanha de Aécim estão cobrando o caixa 3;
É só ver a lista dos que foram presos na Operação Lava a Jato, são todos do PSDB (um ou outro de outros partidos);
Eu fui filiado em partidos conservadores (PL, PFL, PMDB) votei em Lula e Dilma (tal como o excelentíssimo Joaquinzão Barbosa e como ele "também não me arrependo"). 54 milhões que votaram em Dilma não são todos do PT.
E o que há de mais no Foro de São Paulo. É aberto, democrático, eu não participo, mas já participei de reuniões dos Partidos de direita, e daí?.
Ninguém roubou mais de Aécim Neves Cunha e está tudo no Diário Oficial e outros documentos e provas;
Fernando Henrique Cardoso roubou mais que MALUF, MENSALÃO, DITADURA MILITAR, TUDO JUNTO. DESSE NINGUÉM GANHA.

zealfredo disse...

Pois é, FHC não sabe nada a respeito de compra de votos para sua reeleição.
E 20 anos de governos tucanos em São Paulo foram incapazes de descobrir que havia oligopólio de empreiteiras e superfaturamos de obras. A propósito, como anda isso tudo sobre o metrô de São Paulo?