domingo, 2 de agosto de 2015

O Rio Grande do Sul no fundo do poço

Estamos lá. Outra vez.
Não há dinheiro para pagar integralmente os salários do funcionalismo público.
O que fazer?
Por quanto tempo  essa situação se manterá?
A falta de dinheiro parece ser inquestionável. Nenhum governador, parece, deixaria de pagar o funcionalismo se tivesse dinheiro em caixa. O desgaste do parcelamento é brutal. Sartori se reelegeria se o pleito fosse dentro de um mês? Dificilmente.
A pergunta é absurda, pois faltam três anos e meio para a eleição, mas ela tem sido feita em relação ao plano federal.
A questão verdadeira é outra: o que vai fazer o governo gaúcho para sair do atoleiro? Qual a saída? Que coelho tirar da cartola? Vender patrimônio resolve? Não seria financiar o jantar com a venda do fogão, da louça, da mesa e até da cama?

2 comentários:

Anônimo disse...

A culpa é do FHC e da Yeda Crusius.

zealfredo disse...

A culpa pode inclusive ser parcialmente da Yeda sim.