terça-feira, 8 de novembro de 2011

Violência da política do filho único continua sendo tabu na China

A investigação da qual participou Chen Guangcheng, intitulada “Notas de investigação sobre o planejamento familiar em Linyi”, de Teng Biao, está disponível on-line, em chinês. Eis a tradução de alguns dos depoimentos reunidos pelos investigadores: Fang Zhongxia mora no vilarejo de Xiajiagou (burgo de Liangqiu, condado de Feixian, cidade de Linyi). Ela teve duas filhas, e depois passou a usar um anel contraceptivo. Ela foi trabalhar em outra região. Durante esse tempo, engravidou novamente. Os agentes do planejamento familiar saíram à sua procura.

Para trazê-la de volta, eles prenderam no total 22 pessoas, entre elas três crianças, uma mulher grávida e uma senhora de 70 anos. Elas foram espancados e tiveram de pagar pelo menos mil yuans para serem libertados (R$ 274). No final, Fang Zhongxia voltou ao vilarejo quando estava em seu sétimo mês de gestação. Ela sofreu um aborto, e depois teve suas trompas ligadas. Foi somente nesse momento que sua tia, que havia sido sequestrada, foi libertada.
 
 
Confira o texto completo na reportagem do Le Monde, republicada no UOL, e que está disponível nas Colagens do Umbigo e da Mosca Azul