sábado, 31 de dezembro de 2011

O que tem 2011 a ver com a angústia?


Assim foi 2011: terminanos sabedores de que ultrapassamos a Inglaterra; terminamos sabedores (daquilo que todos intuíamos) de que também somos um dos países mais corruptos (... e disso sempre soubemos).
Deus? Filósofos? Antropólogos? Cientistas? O Escambau? Ninguém, mas ninguém mesmo, foi capaz de fazer o necessário: ruptura! Uma ruptura real com a "modernidade" e com todos os sistemas criados nela e por ela. Muito papo, muito livro, teorias, cada qual inventando a sua para "interpretar"... Muito encontro, congresso, muito "mais dos mesmos". Saída, que é bom, nenhuma... Nunca a humanidade teve tanto guru como em 2011. Em todos os campos, principalmente os ligados aos temas da internet, ou da "era digital".
Não costumo ser do tipo que acha que existe "a verdade", mas verdade seja dita: o que a humanidade produziu de 1456 pra cá foi só merda! E por favor não me venham com o argumento de que a ciência produziu qualidade de vida, aumento na expectativa de vida, mais saúde, etc. Basta uma simples pergunta: pra quem, cara pálida?

Confira o texto em O Pensador Selvagem

Um comentário:

zealfredo disse...

Fim de 2011...