terça-feira, 5 de março de 2013

EUA têm base de drones na Arábia Saudita desde 2011


Era um segredo guardado pelos media norte-americanos há quase dois anos, mas o prazo de validade expirou esta semana, com a revelação de um documento confidencial do Departamento de Justiça que justifica o assassínio de cidadãos dos EUA suspeitos de serem "líderes operacionais da Al-Qaeda".
Na sequência da divulgação deste memorando de 16 páginas, pela NBC, o jornal The New York Times decidiu tornar público que os EUA mantêm uma base para o lançamento de ataques com drones (aviões não tripulados) na Arábia Saudita desde 2011.
Num artigo sobre a audição no Senado, esta quinta-feira, do principal conselheiro da Casa Branca para o contraterrorismo, John Brennan – indigitado pelo Presidente Obama para o cargo de director da CIA –, o New York Times revelou que "a CIA começou a construir em segredo uma base dedrones na Arábia Saudita para lançar ataques no Iémen". O primeiro ataque, segundo o jornal, aconteceu a 30 de Setembro de 2011 e teve como alvo Anwar al-Awlaki, um norte-americano nascido no Novo México, formado nas universidades do Colorado e de George Washington, e tido pelos serviços secretos dos EUA como um importante membro da organização terrorista Al-Qaeda. O seu filho de 16 anos de idade e outros dois norte-americanos foram também mortos em ataques distintos, mas as autoridades dos EUA classificam-nos como "baixas resultantes de ataques contra operacionais da Al-Qaeda".
Washington Post confirmou também a existência de uma base de dronesna Arábia Saudita, mas esclareceu que se "absteve de revelar a localização a pedido da Administração", que era conhecida por vários media: "O Postficou a saber na terça-feira à noite que uma outra empresa de notícias estava a planear revelar a localização da base, pondo fim a um acordo informal entre várias empresas de notícias, que tinham conhecimento da localização há mais de um ano."
A revelação de que os EUA têm uma base de drones na Arábia Saudita é particularmente preocupante para a Adminstração Obama. 

Confira no Público.

Um comentário:

zealfredo disse...

Isso é que é liberdade de expressão.
Isso é que é liberdade de imprensa.