sexta-feira, 16 de agosto de 2013

O mensalão foi o sorriso de Monalisa do STF

É supérfluo o debate sobre a influência das ruas na opinião dos juízes do Supremo Tribunal Federal, em nova etapa da Ação Penal 470. Não é matéria de livre arbítrio. Os juízes são tão influenciáveis quanto qualquer um de nós. Outra coisa é o caráter que revelam (e o real livre arbítrio de que dispõem) ao resistir submeter suas decisões à inescapável pressão da opinião pública e da publicada.
Acresce um complicador: os votos que deram anteriormente, aspecto ausente das aflições jurídicas de Luiz Roberto Barroso e Toris Zavaski. A veemência que acompanhou todas, sem exceção, todas as manifestações dos meritíssimos durante o julgamento original estará presente entre as variáveis que deverão ponderar, agora, na etapa dos embargos. Com que argumentos os ministros Joaquim Barbosa, Luiz Fux, Gilmar Mendes, Celso de Mello e Marco Aurélio convencerão a si próprios que os votos que proferiram – e em especial as justificativas que os acompanharam, posteriormente apagadas do Acórdão – estavam equivocados, quer na tipificação, quer na dosimetria?
- Confira em : http://www.ocafezinho.com/2013/08/15/o-mensalao-foi-o-sorriso-de-monalisa-do-stf/#sthash.L54EmevA.dpuf


Via Blog do Luis Nassif.

Um comentário:

zealfredo disse...

Apesar de relevante, não vou mais citar o blog "O Cafezinho" pelos scripts que agregam linques a textos copiados.
Não cito mais "O Globo" por conta desse tipo de procedimento.
Eventualmente em casos como esse citarei apenas o Blog do Luis Nassif.