sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Greve geral contra cortes do governo paralisa transportes em Portugal

Milhares de trabalhadores aderiram nesta quinta-feira (24/11) a uma greve geral convocada pelas duas maiores centrais sindicais de Portugal contra as medidas de austeridade fiscal que o governo do país prometeu tomar para receber ajuda financeira da União Europeia e do FMI (Fundo Monetário Internacional).
A paralisação de funcionários públicos e privados foi sentida principalmente no transporte público. Na capital, Lisboa, e em cidades como Porto, os serviços de ônibus e metrô foram completamente paralisados. Nos aeroportos, dezenas de vôos foram cancelados pela companhia pública TAP e outras empresas, afetando cerca de 50 mil passageiros.
Também foram afetados o atendimento em hospitais e postos de saúde, que adiaram consultas e cirurgias programadas. Foram mantidos apenas os atendimentos de urgência.
Essa é a segunda greve geral convocada em Portugal em dois anos. Segundo a GTP (Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses) e a UGT (União Geral de Trabalhadores), que unem mais de um milhão de filiados em um país de 10,5 milhões de habitantes, a adesão à paralisação de hoje foi bastante superior à greve realizada em 2010, embora tenha sido pouco sentida no comércio e no setor privado como um todo.


Leia mais no Opera Mundi

Um comentário:

zealfredo disse...

Portugal...