terça-feira, 2 de abril de 2013

Militares investigaram Lula mesmo 11 anos após fim do Deops

Principal líder da esquerda brasileira no final da ditadura militar (1964-1985), o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva era frequentemente citado - e vigiado - nos documentos do Departamento Estadual de Ordem Política e Social (Deops-SP), que controlava e reprimia movimentos políticos e sociais contrários ao regime. Na última segunda-feira, o Arquivo Público de São Paulo liberou a consulta pública, pela internet, de milhares de fichas digitalizadas e prontuários do departamento, produzidos entre 1923 e 1983. Lula aparece em ao menos 50 registros e, mesmo com a extinção do Deops, em 1983, foi investigado clandestinamente até 1994.


Confira no Terra

Um comentário:

zealfredo disse...

Poderiam dizer quem espionou, e sob ordem de quem.