sábado, 11 de maio de 2013

Filme alemão sobre Segunda Guerra Mundial choca russos

Focada nos excessos isolados dos militares soviéticos na Alemanha, obra deturpa essência do conflito.  

Filme alemão sobre Segunda Guerra Mundial choca russos
Foto: kinopoisk.ru
O filme “Nossas mães, nossos pais”, exibido pelo canal de televisão alemão ZDF, conta a história de cinco jovens para os quais a Segunda Guerra Mundial se torna um desafio moral e ético, deixando a impressão de que a Alemanha está cansada de arrependimentos e tenta jogar a culpa sobre os outros. O filme basicamente apresenta os soldados soviéticos como estupradores, os poloneses como antissemitas desumanizados e os ucranianos como sádicos.  

A diplomacia russa considerou inaceitável o filme e enviou uma carta ao embaixador da Alemanha dizendo que a “maioria absoluta dos russos que teve a oportunidade de assistir ao filme” o achou inaceitável. Também foram criticadas as tentativas de equiparar as atrocidades cometidas pelas tropas hitlerianas na URSS aos excessos isolados perpetrados por militares soviéticos na Alemanha, os quais foram severamente punidos pelo comando militar soviético. 
 
Vejam mais em GAZETA RUSSA
 

4 comentários:

LAZARO DA SILVA CARDOSO disse...

Ola amigo quero parabenizar pelo ótimo trabalho que seu blog vem exercendo

Gostaria de li sugerir o Gadget LEIS E CÓDIGOS do Brasil: Para seu Blog.
O Aplicativo LEIS E CÓDIGOS vem com os linkis das Leis e códigos da federação Brasileira
Tipo: Liberdade de Imprensa ,Estatuto da Criança e do Adolescente, Código de Transito Brasileiro entre outros.

Link do Aplicativo: http://www.portallasic.com.br/2013/03/leis-e-codigos.html

minha admiração!

Anônimo disse...

Quem conhece um pouco da história da Segunda Guerra sabe que os nazistas fizeram horrores, mas que os soviéticos não ficaram pra trás na hora que invadiram a Alemanha. Seja por vingança ou maldade mesmo, se portaram da mesma forma bárbara que os alemães. E não adianta negar como parece que querem fazer agora quando se vêe como animais

zealfredo disse...

Pois é, senhor anônimo, guerra é guerra, e não existe exército ético na guerra. Todo exército leva consigo estupros, execuções sumárias e saque.
Mas em favor dos soviéticos diga-se que os alemães foram desde o início os agressores e invasores.

zejustino disse...

Anônimo, leia novamente o texto e preste atenção nos seguinte detalhes:

"...excessos isolados perpetrados por militares soviéticos na Alemanha, os quais foram severamente punidos pelo comando militar soviético."

"Isso quando o comando alemão não achara necessário tomar medidas semelhantes para proteger a população civil soviética. Por exemplo, a Diretiva de 13 de maio de 1941, intitulada “Da jurisdição militar na região da Operação Barbarossa e poderes especiais das tropas alemãs” proclamou, de fato, um terror ilimitado no território da União Soviética contra a população civil. A liderança alemã acreditava que a violência no Leste Europeu teria efeito benéfico para o futuro. Portanto, os comandantes deveriam aceitar sacrifícios e parar de hesitar."

Prestou especial atenção neste último trecho: "PROCLAMOU, DE FATO, UM TERROR ILIMITADO NO TERRITÓRIO DA UNIÃO SOVIÉTICA CONTRA A POPULAÇÃO CIVIL".

Havia uma determinação e diretivas do auto comando nazista que visavam o EXTERMÍNIO dos eslavos -que eram considerados sub-raça- pela escravidão e fome. Não precisa recorrer à literatura russa para se certificar disso. Basta ter um pouco de vontade e um canal de TV a cabo para assistir a NATIONAL GEOGRAPHIC.
A União Soviética perdeu mais de 25.000.000 -VINTE E CINCO MILHÕES DE SERES HUMANOS- na maldita guerra impulsionada pelos nazistas. A maior parte dessas mortes é de civis assassinados, torturados e dizimados pela máquina nazi-fascista.

Depois do assassinato de quase o equivalente a mais da metade da população brasileira na época, como os soldados soviéticos tratariam os alemães? Levando pão-de-ló e suco de beterraba para os arianos?

Antes de invadir a União Soviética, a raça superior deveria ter combinado com os russos. Mas, nem todo mundo tem a perspicácia de um Garrincha.

"